Bubbles: Como podemos derrotá-lo?

Bubbles: Como podemos derrotá-lo?

As bolhas no pôquer têm uma conotação negativa: se há 20 prêmios, há 21 bolhas. Se a mesa final tiver 9 prêmios, o número 10 ganha um apelido.

Mas o mais importante, estando na bolha, o mais importante é superar o fardo mental colocado sobre os jogadores pelo fato de terem chegado aqui e não terem conseguido nada.

Em tempos de bolha, fica claro quem vencerá e quem vencerá para sobreviver. Nosso jogo e o dos outros mudarão dependendo se queremos vencer ou apenas receber o pagamento.

A forma como lidamos com as bolhas depende principalmente de duas coisas: a nossa alavancagem e a nossa posição. Ao contrário do que pensa o senso comum, em momentos de bolha devemos ser mais agressivos.

Por quê? Quando estamos tão perto de ganhar, os jogos dos outros ficam mais tight e eles estreitam o range e saem dos blinds com mais facilidade. Vamos analisar nossa estratégia de jogo com base no stack:

Low Stakes (menos de 15 big blinds).

– Quanto mais baixas as apostas, menos fichas teremos para sermos seletivos. Isto significa que quanto mais perto estivermos de ser apanhados pelas blinds, mais baixos serão os nossos padrões e maior será a probabilidade de jogarmos o que quisermos. Nesse caso, adotaremos uma postura de “empurre ou largue”. Em outras palavras: vá all-in ou desista. Para ganhar a vida, temos que passar.

Half Stack (15 a 30 big blinds)

Para stacks médios temos que usar uma estratégia mista: atacar a estratégia sexual short stack, porque podemos tirar partido da sua situação e confrontá-los com cartas significativamente mais valiosas e evitar aqueles com maior poder de influência que tentarão fazer o mesmo connosco.

Deep Stacks (30+ Blinds)

Com muitas fichas, podemos fazer o que mais gostamos: chutar e intimidar. Considerando que os outros só nos enfrentarão com uma boa mão (porque não correrão o risco de sair do torneio com J-7), e que jogos tight podem ser explorados com raises e blinds, é mais benéfico para nós sermos agressivos. Ir all-in representa uma boa mão para os outros, é paralelo ao tamanho do seu stack e é mais fácil de ler.

Há outro fator a considerar: as pilhas de fichas de outras pessoas. Se temos sete blinds mas alguém tem dois, não é impossível esperar que eles desapareçam da mesa se isso significar ganhar dinheiro. Não consideramos dobrar damas, mas podemos abrir uma exceção.

Como disse o mestre Daniel Negreanu: “A bolha é quando há uma diferença entre homens e meninos. Jogadores agressivos tornam-se mais agressivos, enquanto novos jogadores são temidos. Dominados.”

Vamos resumir os pontos-chave de jogar em uma bolha

  • Seja mais agressivo.
  • Construa nosso range (as cartas que queremos jogar) a partir do nosso baralho.
  • Encontre presas com baralhos menores; evite tubarões com pilhas maiores.
  • Proteja suas persianas. Você tem que assumir que outros tentarão roubar seus blinds, e mostrar agressividade irá reduzir isso.
  • Não tenha medo. Fatores psicológicos têm um impacto negativo nos nossos jogos na bolha. A história sempre se lembrará do primeiro; esse deve ser sempre o nosso objetivo.

Bubbles: Como podemos derrotá-lo?

Comentário (2)

  • Eu concordo com o texto ao afirmar que em momentos de bolha no pôquer, é importante ser mais agressivo e estar atento às estratégias dos outros jogadores. Além disso, é crucial proteger suas persianas e não deixar o medo influenciar seu jogo.

  • Acredito que o texto traz boas reflexões sobre a importância de ser mais agressivo durante a bolha no pôquer, levando em consideração a alavancagem e posição do jogador. Além disso, destaca a necessidade de proteger as blinds e não ter medo de arriscar.

Deixe um comentário

© 2023 todos os direitos reservados.
[email protected]